7 meses de Nina

Amorzículo do coração da mamãe,

Vou me apaixonando cada dia um pouco mais por você. E fico aqui doida imaginando o futuro porque se esse sentimento crescer e se intensificar com o tempo, como vai ser quando você tiver 60 anos e eu… (bom, deixa a idade da mamãe pra lá)? Eu vou ser uma velhinha bem velhinha muito da doida de felicidade, risonha (de preferência ainda dona dos meus dentes) e exalando amor pelas pelancas mais recônditas. Tudo por sua causa.

Mas esse mês, mais do que amor, eu queria falar da admiração que passei a sentir por você. Nesses últimos 30 dias, o que vi você fazer me deixou abobalhada. Graças ao seu esforço constante e incansável, você está quase engatinhando. Nenhum minuto é desperdiçado: põe-se de quatro e tenta, tenta, tenta sair do lugar; gira, bate a cabeça, assusta-se, chora um pouco, distrai-se com um brinquedo (ou meu chinelo) e segue, tentando colocar-se novamente de quatro para ir ali. Ali tanto faz porque tudo é interessante. Tudo pode. Tudo lhe dá alegria.

Exibe em mil gargalhadas por dia o caquinho de vidro que desvirgina sua gengiva. E, tão boazinha, me deixa passar o dedo na sua boca para sentir a beleza desse dente, que vai fazendo de você um projetinho de criança, e não só mais um bebê.

Ah! E suas habilidade de se comunicar têm amadurecido também. Você faz a careta mais linda do mundo, consequência do imenso esforço para dizer DADADADA, que ainda não é o verbo dar, é “só” a sua boca finalmente obedecendo ao seu desejo de dizer-se. E quando você faz isso na rua, eu respondo com o mesmo DADADA, assustando os passantes. Mas deixe para se preocupar com as idiotices que sua mãe faz quando chegar a adolescência.

E olha que eu nem falei da sua imensa capacidade de adaptar-se à grande novidade que é conseguir comer os legumes que seu pai e eu lhe apresentamos.

Mesmo que pareça impossível, mesmo que você use toda a sua força, mesmo que precise de pausas para um chorinho, mesmo que seja perigoso, mesmo que ninguém lhe mostre como é, você vai lá e faz. Porque sim. Porque precisa. Porque sente.

Não sem espanto, vou aprendendo com você como se cresce

4 comentários em “7 meses de Nina”

  1. Mariana Zanotto Disse:
    15 de junho de 2012 às 10:56

    lindeza (de filha, de mãe, de texto!)

  2. Aline/Line Disse:
    15 de junho de 2012 às 12:50

    Lindeza (de filha, de mãe, de texto!)2

  3. Taís Disse:
    15 de junho de 2012 às 20:40

    Mais um texto lindo…. vou copiar, colar o nome de Nanda e dizer que escrevi p ela, pq é tudo isso mesmo, rsrs!!! Perfeito Mila!!!! E Nina… uma lindeza!

  4. Gabriela Disse:
    19 de junho de 2012 às 14:30

    Ninoca, você tá demais nos avanços físicos e amorosos!!!! 7 meses e já querendo engatinhar!!!! Você vai longe como sua mãezinha tão amorosa!

Comente