O mesmo script para todo mundo (ou não)

Você vai avançando na casa dos 20 e o pessoal (o vasto leque de pessoas que inclui sua mãe e o estagiário aleatório da Contabilidade cujo nome você desconhece) começa a perguntar “cadê o namorado?”

[Eu nem vou entrar no quesito homossexualidade para que a conversa não fique ainda mais extensa, então fiquemos no mundo hetero, ok?]

Então as pessoas ao seu redor se preocupam horrores com a sua… é… felicidade conjugal. Não importa se você está alegre da vida aproveitando cada uma das delícias da solteirice. O que conta é o que o pessoal quer para você. Afinal, como ser feliz sem um homem do lado, não é, minha gente? E quem diz o contrário é recalcada.

Até que um dia, você, galinha solteira convicta, se apaixona de um jeito que precisa juntar seus trapinhos djá com aquela criatura. O pessoal muito mente aberta até aceita que vocês não casem assim preto no branco; morando sob o mesmo teto já tá bom demais, afinal o importante é ter um homem ao seu lado, lembra?

O relacionamento segue firme e inabalável. Vocês queimam as fotos dos ex,  adotam um cachorrinho e até fazem um perfil único com o nome dos dois no Orkut (sou vintage?). Tá tudo lindo, tá tudo grude, tá tudo amor, mas o pessoal já tá preocupado: “cadê o filho?”

Se você demorar muito (?), o pessoal vai falar que gravidez depois dos 35 anos é problema para o feto na certa, que casamento sem filho não se sustenta porque é muito solitário e que você só vai descobrir o que é o amor no dia em que parir. Se sua irmã mais nova teve filho, então, aí é que danou-se.

Aí você, que estava só lá vivendo sua vida, sem dar satisfações a ninguém, engravida quando bem quer. O povo então derrama lágrimas de alegria, gritando “aleluia! Aleluia! Fulano não é brocha e Beltrana não tem útero seco”.

Você está assinando os formulários para ter alta do hospital com seu filhote e o pessoal já pergunta “e quando vem o segundo?” 

Quatro anos depois, sob protestos do pessoal, que tanto avisou que a diferença de idade ideal entre os seus filhos deveria ser de dois anos, você engravida de novo. O exame de ultrassom mostra que é um outro menino. Você e o namorido comemoram! O pessoal, mal disfarçando a frustração (?), apressa-se em perguntar: “mas vocês vão tentar uma menina, né?”

Fim.

Se eu tivesse acordado de mau humor, ia usar o blog para me queixar (quem nunca?) de como o pessoal se mete na vida dos outros (meu mimimi mais recorrente nos últimos tempos) e faz de tudo para que você não seja capaz de escrever a sua própria história, pensando o mundo de outro jeito, tipo o seu. Mas estou borbulhando de endorfina, então digamos que esse texto foi só para externar a minha alegria em ver que existe tanta gente que parece intrometida, mas que, no fundo, tem só é um jeitinho todo especial de demonstrar que quer o seu bem.

[Sem ironia, eu j-u-r-o. É verdade! Por favor, acreditem! Só hoje! E digo mais: eu não sou esse poço de intolerância. É sério! Assim… Só com umas 3 ou 4 pessoas muito, muito próximas a mim. Do resto, eu aceito quase tudo!]

4 comentários em “O mesmo script para todo mundo (ou não)”

  1. Aline/Line Disse:
    18 de maio de 2012 às 11:49

    Muuuuuito bom! Queria ter escrito.

  2. Eric Disse:
    18 de maio de 2012 às 12:47

    Eu sou uma dessas pessoas que você implica um tiquinho à mais? hahahaha

    Você lança seu primeiro livro quando? Aproveita o iBooks e começa, sério. :o)

  3. Helena Disse:
    18 de maio de 2012 às 16:41

    Eu comecei a ler pensando… Puts, já estão pedindo irmãozinho para Nina??? kkk
    Eu não reajo tão bem, acho um SACO essa pressão!! Eu acho que a diferença ideal é a de 3 ANOS,e mandei muita gente pra lugares escuros por conta disso… hahahaha Eu dizia: “vou voar grávida com Heitor no colo?”, ou então “e ter que comprar outra cadeirinha ao invés de um simples booster?”, mas as pessoas são tão DOIDAS nessa nóia que nem lhe escutam, ficam recitando o mantra: “tá na hora, tá na hora”… CREDO.
    Amiga, e pra piorar, parece que meu segundo é menino, o que fará de mim uma assassina daqui a dois anos, porque não vou aguentar a última pergunta… hahahahahahha Bjs!

  4. Vaneska Disse:
    21 de maio de 2012 às 14:26

    Ô Mila, eu sei bem o que é isso, né…
    Mas, sinceramente, não sei se querem o bem não, porque três filhos é demais, não é amiga? Já avisei a todo mundo que se eu aparecer grávida, foi sem planejar e podem internar porque provavalmente vou ficar doida, rsrsrsrs… E olhe que a maternidade é especial, mas sem excessos, ok?!
    Bjs!

Comente