Aprendendo a ser mãe com Michael Jackson

Michael Jackson foi um injustiçado! Sofreu horrores na mão do pai, levou pro túmulo a fama de pedófilo, entregou seu rostinho aos piores estagiários em cirurgia plástica e ainda foi acusado de ser um péssimo pai. Mas eu preciso confessar a vocês: Michael é um exemplo pra mim.

Analise comigo. Quando você vê essa foto, o que vem à sua mente?

"Nossa! Michael é um talibã! Coloca burca nos filhos com a desculpa de protegê-los dos paparazzi e sequestradores. Tirem dele a guarda dessas crianças!"

Que julgamento mais precipitado, minha gente. O que eu vejo? Vejo um pai cansado de limpar as golfadas de seus filhos com paninhos de boca bordados pela vovó, que se viu obrigado a usar panos maiores a fim de evitar jatos de azedume em qualquer um que se aproximasse de seus filhos. Ele estava, na verdade, prestando um serviço à sociedade; e você aí chamando o cara de freak. Que coisa feia! Agora, se as crianças dele ainda gorfavam nessa idade, aí já não sei dizer por quê. Sei lá, filho de artista é tudo excêntrico, né?

Eu só sei que o entendo e penso em aderir à moda porque, olha, não é fácil ser mãe de uma bebezica campeã na modalidade 100 metros rasos de gorfada.

Isso, Michael, não liga pra eles.

Um comentário em “Aprendendo a ser mãe com Michael Jackson”

  1. Helena Disse:
    9 de fevereiro de 2012 às 23:13

    Mulher, nunca tinha pensado nisso! Mutcho injusto… Eu colocaria um pano igual na bunda de Heitor: no primeiro mês, eram uns jatos de cocô que chegavam a percorrer uns 90 cm. Um deles, certa feita, carimbou a parede… Coidiloco.

Comente